segunda-feira, 16 de julho de 2007

Lá pá Lapa

Sempre quis escrever um texto sobre a Lapa. Agora que temos um blog acho que chegou a oportunidade....
Não há como falar sobre esse tradicional reduto da boemia carioca sem fugir do lugar comum de que ela é a cara do Rio, é onde se dá a verdadeira democracia cultural e que, não por acaso, reflete o jeito de ser do carioca. Ali, travestis, patricinhas, mendigos e playboys convivem (convivem já é um pouco forçar a barra, freqüentam é melhor) sem qualquer distinção de cor, classe, credo ou time de futebol.
Agora que já falei em linhas gerais o que todos já comentaram sobre a Lapa, vou tentar ir mais para minha visão particular. Até pouco tempo não sabia sequer o nome de uma rua da Lapa. Um fato curioso a meu ver. Pode até ser ignorância minha, mas acho que também há outras pessoas que freqüentam o lugar regularmente e não sabem. Acho que a Lapa, justamente por não ter divisões ou as distinções citadas acima, não tem a necessidade das ruas a delimitando (salvo para os carteiros). Quando você está na Mem de Sá, na Lavradio ou na Riachuelo, você simplesmente está na Lapa. Para se localizar, é só falar que está perto do Circo ou na rua do Democráticos ou depois do Arco-Íris...
Com certeza, a Lapa, lugar que freqüento desde os 15, 16 anos, tem uma participação importante na formação da minha personalidade e da minha cultura. Qual, exatamente, eu não sei, mas posso assegurar que é algo positivo.
Se um dia eu sair do Rio, um lugar que sentirei muito falta, além das praias, claro, vai ser da Lapa, até porque acho que não há no mundo um lugar como esse.

Júlio

Um comentário:

Carol Luisa disse...

Amo a Lapa de paixão!!!Tbm não sei as ruas,não me ligo.Só sei q é aLapa.Delícia em forma de bairro;)


=*************