terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Divagacoes vindouras do norte

Faz dois meses que estou na Terra do Tio Sam. Ainda, no entanto, nao cheguei a uma conclusao sobre o porque eles eles sao melhores do que nos. E se, sim, porque o sao. Aqui a organizacao impressiona. O transporte nao atrasa, as ruas sao limpas, quase nao ha crime. Mas por outro lado, ou "on the other hand", como eles diriam, as pessoas temem o Estado. Eu temo o Estado. Ao que eu tambem nao consigo dar um juizo de valor. Por toda a cidade ha placas "Do not littering" (nao jogue lixo no chao). Sabe a multa? A modesta quantia de mil dolares. Eu tenho medo de, sei la, alguma coisa cair sem querer da minha mochila, por exemplo. Ou, se pegar um jornal que esta no banco e deixar no mesmo lugar, eles acharem que eu estou "littering". Eu nao sei se cuspir esta incluso, mas pelo sim, pelo nao, eu evito. Aqui voce so pode atravessar na faixa de pedestre e esperar o sinal abrir. Tudo bem, evita atropelamentos e as pessoas realmente respeitam. Mas, you know, as vezes ta chovendo ou nao tem nenhum carro nem a 300m de distancia. Multa? 350 dolares. Todas as boates aqui, sem excecao, terminam as 2h. Eh a lei. Outra: eh proibido beber na rua. Ou seja, a pre-night acaba quando voce deixa a casa. Especialmente aqui em San Diego, fronteira com o Mexico, a policia eh muito temida, eficiente...e numerosa. Eles estao em todo lugar.
Toda a dissertacao acima foi para resumir, ou melhor, compartilhar o pensamento de que em nenhum lugar voce pode encontrar tudo o que quer. Se por um lado o Estado funciona perfeitamente, por outro, voce perde um pouco da sua liberdade. Como disse no inicio, ainda nao cheguei a uma conclusao, mas tendo a achar, vendo ruas limpas, transportes funcionando, seguranca, que temer o Estado nao eh de todo ruim. Por pior que isso pareca.

Julio,
SD, Ca

3 comentários:

Lucas disse...

Bacana, concordo com sua conclusão. Antes temer o Estado do que temer o poder paralelo, partindo do pressuposto que se vive numa democracia é claro. Na ditadura o governo era o mais temido que qualquer outra coisa. O Estado pode multar e o poder paralelo, matar. Prefiro a primeira opção.
Sobre outra observação feita por ti, não acredito que um povo pode ser melhor do que outro completamente. Eles ganham em organização,nós ganhamos em receptividade, hospitalidade, calor humano.
A balança sempre vai tender para um dos lados, por isso acho impossível uma comparação absoluta de melhor ou pior...
boa crônica !!!
Não beba nas ruas e cuidado com os pardai para humanos...
abração

Qindera disse...

Acho que eu vou me mudar pro Quênia. La tem calor e calor humano.

Anônimo disse...

necessario verificar:)