sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Sobre amizade e preconceito

Certa vez li um texto do Joaquim Ferreira no qual ele falava que escrevia frases que ele achava interessante, seja ditos populares, pichacoes, ou de autores consagrados. Antes de vir para os EUA, em um filme que nao lembro qual, li uma frase, que, pela primeira vez, e talvez motivado pela historia do Joaquim, me deu vontade de anotar. Achei que me seria util na viagem. Diz Assim: "Primeiro, voce ve as diferencas, depois, as semelhancas, a partir dai surgem as amizades". Hoje eu nem sei onde esta o papel onde anotei, nao preciso mais, ela fica na minha cabeca o tempo todo. Ela serve para todo o tipo de encontro, em qualquer situacao. Mas, especialmente, para conhecer pessoas de outros paises ela e mais do que essencial. A primeira reacao ao ver um coreano, por exemplo, e a preconceituosa. Parece um ser de outro planeta. Depois, voce ve que ele tambem eh humano, tem duas pernas, uma cabeca e tal. Ai voce ve que ele come, bebe, respira. Com o convivio e conversa, voce comeca a perceber que ele tem sentimentos, sente ciumes, sofre por um amor partido. Ate finalmente voce chegar ao ponto, de as vezes, esquecer que ele eh de outro pais e sem querer falar em portugues com ele.
Desculpe o cliche, mas quebrar barreiras e preconceitos nao tem valor.

Ainda sem acentos e cedilhas,

Julio
San Diego

4 comentários:

jv disse...

acho q isto corrobora a minha afirmacao no texto A ciencia da amizade: "nos so existimos no outro". o wilson do filme "naufrago" eh um bom exemplo. de que o homem so eh quando ele se manifesta. o kim eh o seu wilson, porem com a luz kantiana do transcendentalismo.

Dan disse...

O Kim é um agente norte-coreano filiado às FARCS e ao Mossad!!

Lucas disse...

Os amigos são a família que a gente ecolhe... só não quero que nenhum amigo vire meu cunhado !!

Anônimo disse...

julio julio,

cabeça, cada um tem a sua. já o chulé é o mesmo. abração, pai chacal