sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Marujo de primeira viagem

Coveni^encia. Essa eh a palavra de ordem nos EUA. Eles fazem tudo o possivel para poupar seu tempo. Na casa onde estou, por exemplo, eles usam pratos e copos de plastico, apesar de terem maquina de lavar louca. No supermercado, as saladas ja vem prontas. Ha ate uma caixa que vem com a bolacha, o queijo e o presunto. Voce so tem de montar o sanduiche. A conveniencia, no entanto, nao foi o fator que mais me chamou atencao. O que realmente impressiona aqui na terra do Tio Sam eh o numero de imigrantes. Segundo o marido da minha tia, o Michael, sao 30% dos habitantes do pais. Eles fazem o trabalho que os americanos nao querem fazer. Nos restaurantes, por exemplo, absolutamente todos os garcons sao estrangeiros, na grande maioria, mexicanos. Aqui na Georgia, a populacao eh predominantemente negra. Eles nao se misturam com os brancos. Minha tia diz que o racismo eh enorme. Segundo ela, o sentimento deles eh de que os brancos lhe devem algo. Mas, ao contrario do Brasil, os afro-americanos aqui vivem, em sua maioria, muito bem. Voce os ve em carros luxuosos e muito bem vestidos. Nao ha mendigos, nem miseria. Dificilmente voce ve taxis ou onibus, ja que quase todos os habitantes da cidade tem carro. E voce precisa dele para fazer qualquer coisa. Parece Bras'ilia. Como eu imaginava, tudo eh muito bem cuidado e moderno. Outra coisa interessante eh que o preco dos produtos que voce ve nas estantes da loja nao eh o preco final do produto. Cada estado tem seu imposto. Aqui na Georgia eh 7%. Por exemplo, se determinada camisa tem o preco de U$ 10,00, voce vai pagar no caixa U$ 10,70. Eh um imposto unico. Talvez por isso, os produtos aqui sao inacreditavelmente baratos. Comprei um casacao de frio super moderno por U$ 28,00. No Brasil, seria no minimo uns R$ 250,00. Da vontade de comprar tudo. Ate para os nao consumistas como eu. A vida aqui eh facil, do ponto de vista financeiro, pelo menos.
As coisas estao indo really well, apesar de eu ter passado o reveillon vendo se um maluco iria conseguir pular uma rampa de moto, num evento do Red Bull. Ele conseguiu e todo mundo ficou decepcionado.
Que venha a Califa!

P.S. - Desculpe a falta de acentos e cedilhas, mas o teclado aqui eh diferente.

Julio
Enviado especial, Atlanta, Ge.

2 comentários:

jose disse...

"afro-americanos" não!
Imposto único sim!
Viva os EUA!

caslurodrigues disse...

colé, marujão
que bom que tu tah amarradão
po, praticidade à parte, prefiro prato de louça... hahahah !!!
boa sorte mai frendiii !!!
hugs!!!!

bili