quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

A saída para o Rio

Ainda estou tentando apreender, mesmo que propositadamente, a realidade que me cerca. Bom, constatamos que é inerente ao morador do Rio esta Heterogeneidade social. Uma sociedade profundamente marcada por toda sorte de diferenças, mas permeada por um fio comum, onde cada qual sabe o seu lugar. E quem não sabe ou leva um tiro ou vai preso. Isto todo mundo sabe. É apenas um retrato da nefasta democracia que nos é imposta.
O Rio é uma cidade aberta, que era capital federal, que era Cidade Maravilhosa. Maravilhosa também porque os criminosos, ou melhor, sejamos cariocas, os contraventores, patrocinavam o carnaval, e continuam patrocinando. Como é que a gente faz nessa cidade em que você chega no carnaval e na primeira página dos jornais aparecem os contraventores, as autoridades e as celebridades, todos juntos, brincando, tomando champanhe?
O que me intriga não é o fato de haver contravenção no Rio, mas como a contravenção faz parte da sociabilidade do cidadão(salve os 10 reais que te livraram daquela multa de ontem). Vai ver não existe cidadania. Ou então, pensa só, a cidadania carioca é muito light. Por exemplo, o cara chega no Rio, toma um banho de mar, pega um sol e já virou carioca. Qualquer cara que chega ao Rio em dois dias vira carioca. Você chega a Belo Horizonte e em três anos ainda não virou mineiro. Qual é a obrigação que você tem com a comunidade numa cidade voltada para o lazer? Absolutamente zero.
Porém, há uma saída. A gente se muda pra Minas e deixa os mineiros tomarem conta daqui.

Joao Vicente

4 comentários:

Dan disse...

Na mosca!

jt disse...

E aí, galera.
O blog entrou de férias tb?
Inspirações??

Bruno Macchiute disse...

Esta crítica, se lida por um mineiro, vai causar revolta.
Nós vamos à BH, comemos pão de queijo, queijo minas, doce de leite e falamos "oh trêm bão,sô" e pronto. Já nos tornamos mineiros.
Meio parcial, não acha?

Abraços do blog ao lado (SemSerifa)

jv disse...

acho que ele se revoltaria se lêsse este comentario que diz que qualquer um pode ser um mineiro, basta se manifestar da mneira descrita acima.