terça-feira, 23 de setembro de 2008

Casal

Ele mora sozinho. Ela mora com ele. Ele sai todo dia para trabalhar às 8hs. Ela prepara o café pontualmente às 7h30m. Ele, quase sempre atrasado, pega uma maçã e um pão. Invariavelmente, na correria, ele esquece alguma coisa. Ora a maçã, ora o pão. Ainda tem a chave e a pasta. Muita coisa pra lembrar. Ela acha graça de ouvir sempre o mesmo barulho: a porta fechando e logo em seguida abrindo, com ele procurando um dos quatro itens que carrega. Às 19h, ele está de volta. Quando chega, tem por hábito ouvir um vinil. Não é um cara assim apegado às coisas mais velhas ou que acha legal ser retrô. Prefere apenas o som do vinil ao disco compacto. Acha mais limpo. Sempre escolhe um diferente, dentro de sua vasta coleção. Ela fica ansiosa para saber qual ele vai escolher. Adora o que ouve.
Nos porta-retratos, ele lamenta um passado que não volta. Ela vê a coisa mais valiosa de sua vida.
Ela gosta de culinária. Todas as noites, por vezes acompanhando o livro de receitas de sua ida mãe, prepara algo diferente. Quando a comida está pronta, ela o chama. Ele nunca responde. Poucos minutos depois, no entanto, aparece à mesa. Quando come tudo, é sinal de que gostou da comida, para satisfação dela. Quando não, sabe que precisa melhorar; evoluir.
Ele sempre se deita antes, cansado que é da vida. Ela, a mais feliz das mulheres, curte mais um pouco a noite. Ao chegar ao quarto, a cena que nunca se cansa de ver: o rosto dele dormindo é angelical, a reconforta.
Ele mora sozinho. Ela mora com ele.

Júlio

4 comentários:

Joao Vicente disse...

que cara demais desleixado esse hein
vai perder a mulher...

jt disse...

hahah tem fotinho agora?

Lucas Vettorazzo disse...

pra mim, ela é a faxineira dele.
conto bacana, julio, dá pra ler em 30 segundos, causando inveja aos prolixos.
Estou ausente deste blog, mas até o final de semana escreverei por aqui.
enquanto isso, dêem um pulo no pastamarela.blogspot.com
tem texto novo lá.

abráços Bili

Joao Vicente disse...

to compensando o orkut