quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Shhh.....

Não foi Renan Calheiros o maior vencedor de todo este processo que se arrastou no Senado. Foi Marilena Chauí, filósofa da USP.
Na época do mensalão, Marilena, do alto de sua vigarice intelectual, decretou: "o mensalão é uma criação fantasmagórica da mídia". Muito coerente com a tese que defende no livro "Simulacro e poder- Uma análise da mídia", a de que a grande imprensa é anti-democrática, pois está a serviço dos interesses do capital.
É a tese de dona Marilena que serve de álibi para os maiores escândalos- como este último. Ouve-se nas palavras de Renan o eco das teorias da filósofa: "Isto não passa de intriga da mídia", ou " A elite quer me derrubar". A mesma conversa mole de sempre.
Lembro que Marilena só deu aquela declaração infeliz sobre o mensalão porque acusava-se, então, à época, os intelectuais de passividade e omissão frente à crise. Mas tudo que eu tenho a dizer para eles agora, quase todos é: silêncio, intelectuais, silêncio...

Dan

Um comentário:

Gustavo disse...

A prof Marilena Chaíu é uma ótima compiladora de obras de filosofia. Agora, dando opiniões sobre política, ela se aproxima do estetiótipo do típico intelectual brasileiro das décadas de 60 e 70. Ou seja, esquerdista (na acepção comum e mais pejorativa possível da palavra), conspiratória e petista (adjetivo que fala-se por si só).....