sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Cerimônia de encerramento


Primeiro, eu gostaria de cumprimentá-los, meus companheiros de crise. Sim, porque estamos na pior crise da história do capitalismo, dizem aquelas pessoas existencialistas, que vivem em crise consigo mesmo. Depois, eu quero que vocês, pessoas em crise, reflitam sobre o momento pelo qual estão passando, se é porque você não está com aquela tremenda enchaqueca ou será a hora de mudar mesmo de rumo, sua vida não tem mais sentido, filie-se ao Greenpeace e mude-se para Nova Zelândia.
Pessoas em crise, o sistema morreu mas nós, meros mortais, estamos vivos, não precisamos do sistema, já basta nossas crises internas, e olha que nao estou falando de politica. Seria interno no sentido de alma, mas não que tenhamos que vendê-la pelo poder, mas o que precisamos é de terapia, terapia da alma(parece que meditação tá dando certo no oriente), é isso que falta pra gente. Sim, porque dizem por aí que as maiores crises da História foram inventadas pelo homem: a queda de Constantinopla, o crash da bolsa, a crise do petróleo. Dizem que muita gente faturou com a suposta crise de 29. Será bendito? Para mais ou para menos, foi uma desculpa extraordinária para todo o processo histórico subsequente. Como explicaríamos milhares de suicídios, as queimadas em fazendas de café, Getúlio Vargas subindo ao poder.
Nunca, na história do homem, a não ser pelo entrave do estreito de Bering, onde centenas de ancestrais ilhados foram morrendo aos poucos, uma crise afetou tanto o caminhar da humanidade como a que estamos enfrentando hoje. Agora, que venha a próxima era glacial para esfriar os nervos dos esquizofrênicos homens pós-modernos.

Joao Vicente

2 comentários:

Dan disse...

joão, a crise é só uma marolinha...

Equipe Sobrecasaca disse...

fale isso para os capitalistas de plantao, eles nao sabem ainda