sábado, 26 de abril de 2008

Hegel, as melancias e o apocalipse


Para o filósofo alemão Hegel, a história tinha um sentido, uma direção. O Estado Constitucional, por exemplo, seria o ponto de chegada inevitável de um processo histórico dialético que já teve formas intermediárias como o Estado monárquico e o tirânico. Pois bem. Pegue o Estado Constitucional e troque-o por Andressa Soares, a Mulher-Melancia. Ela é o ponto de chegada de um longo caminho evolutivo, a síntese definitiva de um processo complexo de bundas, péssimas músicas e muita, muita vulgaridade. Ela tem a maior bunda, canta a pior música e ergue sua própria futilidade como um troféu. Carla Perez foi uma etapa inicial desse processo histórico. Na linha evolutiva da vulgaridade, seria como uma espécie de neanderthal: uma bunda grande, porém, ainda um tanto inibida, e uma vulgaridade ainda incipiente a acompanhavam nos shows. A Feiticeira representou um estágio já mais desenvolvido da idiotização cultural. Peitos e bundas gigantescos fizeram dela uma grande estrela, ao passo que exibia sua ignorância faraônica em um programa de TV. Muitas outras representantes da evolução da cultura do ridículo e do mal-gosto foram surgindo, uma atrás da outra, uma mais inacreditavelmente vulgar do que a outra. Mas ainda podia se notar um tiquinho, um resquício de civilização nelas. A chegada da Mulher Melancia, porém, representa o fim dessa história. Ela é a queda do Muro de Berlim da nossa história da decadência- é o grande símbolo do fim da história da nossa chanchada cultural. Nada virá depois da Mulher Melancia. Lembra do Apocalipse, aquele livro da Bíblia que falava sobre o Juízo Final? Pois está lá: “...e, do mar, eis que se erguerá uma mulher de ancas monumentais, rebolando e levando a desgraça ao mundo dos homens”. Estava esperando o Juízo Final para torrar seus dólares? Aproveite! Fale tudo que quis dizer ao seu chefe também, pois o fim está próximo. Assim diz o profeta Daniel. Newton revolucionou o mundo quando uma singela maçã caiu em sua cabeça. Agora, uma nova revolução se anuncia, com uma enorme melancia caindo sobre a cabeça de todos nós.

-Dan-

4 comentários:

jv disse...

no japao se planta melancias quadradas, pra caber na geladeira.

bill disse...

o delicado moranguinho está em extinção, que pena!

Chico disse...

daniel, você é simplesmente genial! Eu sou seu pela-saco assumido agora.

Anônimo disse...

bom pra cacete!que tal o fim:
"Agora uma nova revolução se anuncia,caindo sobre nossas cabeças uma bunda em forma de melancia."
duduperere