sábado, 20 de junho de 2009

Motivacoes de ordem passageira


O cidadão morava no coracao da Nossa Senhora de Copacabana, rua tomada por camelos de um lado a outro, de todas as especies e iguarias. havia dias em que nao conseguia entrar em casa e ficava a perambular pela rua, fazendo hora, esperando o termino do furdunzo. olhava as vitrines das lojas, entrava numa livraria, lia um ou dois livros, quando dava por conta de que estavam fechando a livraria, corria para casa pois o horario comercial dos camelos co-incide.

e inside mesmo - nao arredam o pe da onde fincam o negocio pois podem perder o ponto. os mais peritos procuram se localizar perto de alguma lanchonete - ou da praca de alimentacao - deste shopping a ceu aberto. antes, para eles, fosse fechado, protegido da guarda municipal, que é porque se escondem embaixo de arvore, atras de banca, aonde der, senao saem correndo mesmo, a esmo, pela rua a fora, como zebras ameacadas. Um sinal de alerta é o estopim da debandada:

- olha o rápa! Alguem gritou.

- corre, maluco! corre, maluco!

E saiu todo mundo em disparada para nao sei aonde. Tomaram um cha de sumico - nao se vira mais nada. A calcada ficou erma. Chegando um policial da guarda, se aproximou e perguntou:

- Viu pra onde eles foram?

- quem?

- os camelos.

- vi nada. e nem quero ve-los novamente

Mas no dia seguinte, quando acordava e descia para comprar pao, um tropeco no primeiro pano estendido indicava que estavam la de novo, impassiveis, prostrados, nao adiantava, voltava tudo ao normal sempre. Resolveu entao tomar uma atitude com relacao ao entrave.

Chegando em casa, viu toda aquela gente feliz trocando moedas, produtos, especiarias. Um fuzue danado que tomou com cautela um estalo, e uma ideia brilhante pairou em sua mente. Foi adentrando no meio do gargarejo, se misturando aos demais. Se colocou numa posicao privilegiada e emendou:

- Aí, gente, olha o RÁ-PA!

Sairam todos numa disparada tao grande, mas tao grande que entrou em casa numa felicidade tamanha, sem nenhuma aporrinhacao. Conseguiu ate dormir mais cedo, sabendo que no dia seguinte teria que sair de casa antes do comercio chegar.

por Joao Vicente

Um comentário:

Joe disse...

li no teu pocket vicent book!